Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. Isaías 40.8
1 Samuel

1 Samuel

Autor: Incerto (Samuel)
Data: Entre 931 e 722 aC.
.
.
.
Esboço de 1º Samuel
I. Renovação sob Samuel 1.1-7.17
Nascimento e infância de Samuel 1.1-2.36
1) Nascimento e dedicação de Samuel 1.1-2.11
... Elcana e suas mulheres 1:1-8
... Ana roga a Deus que lhe dê um filho 1:9-18
... Nascimento e consagração de Samuel 1:19-28
... O Cântico de Ana 2:1-11
.
2) Crescimento de Samuel e a corrupção dos filhos de Eli 2.12-36
... Os crimes dos filhos de Eli 2:12-17
... O ministério de Samuel 2:18-26
... Profecia contra a Casa de Eli 2:27-36
.
Começo do ministério profético de Samuel 3.1-4.1
1) Seu chamado por Deus 3.1-9
2) Sua palavra para Eli 3.10-18
3) Seu ministério a todo Israel 3.19-4.1
.
O ministério de Samuel como juiz 4.2-7.17
1) A captura da arca pelos filisteus 4.2-11
... Os filisteus vencem os israelitas 4:1-4
... A arca é tomada e a morte de Hofni e Finéias 4:5-11
.
2) A morte de Eli 4.12-22
3) Recuperação da arca por Israel 5.1-7.1
... A arca na terra dos filisteus 5:1-12
... Os filisteus enviaram a arca para fora da sua terra 6:1-9
... A arca é restituída com presentes 6:10-18
... A arca chega a Quiriate-Jearim 6:19-7:1
.
4) Samuel exorta o povo sobre arrependimento 7.2-6
5) Derrota dos filisteus 7:7-17
.
.
.
II. O reinado de Saul 8.1 ?15.35
Estabelecimento de Israel por um rei 8.1-12.25
1) A Exigência de Israel por um rei 8.1-22
2) Saul é escolhido e ungido rei 9.1-12.25
... Saul busca as jumentas extraviadas e vai ter com Samuel 9:1-27
... Samuel unge Saul como rei de Israel 10:1-8
... Saul entre os profetas 10:9-16
... O povo escolhe Saul para seu rei 10:17-27
... Saul vence os amonitas 11:1-15
... Samuel resigna o seu cargo 12:1-25
.
As guerras de Saul 13.1-14.52
... Guerra entre os israelitas e os filisteus 13:1-7
... Saul oferece sacrifícios e Samuel reprova-o 13:8-23
... A vitória de Jônatas sobre os filisteus 14:1-23
... O atrevido voto de Saul 14:24-35
... Jônatas condenado à morte é salvo pelo povo 14:36-52
.
Saul é rejeitado por Deus 15.1-35
... Samuel manda Saul destruir os amalequitas 15:1-9
... Deus manda Samuel repreender a Saul 15:10-35
.
.
.
III. Declínio de Saul e ascensão de Davi 16.1-31.13
A crescente proeminência de Davi 16.1-17.58
1) Sua unção por Samuel 16.1-13
2) Sua música diante de Saul 16.14-23
3) Sua vitória sobre os filisteus 17:1-58
... Guerra entre os israelitas e os filisteus 17:1-11
... Jessé envia Davi a seus irmãos e ouve os insultos do gigante 17:12-30
... Davi dispõe-se a pelejar contra o gigante 17:31-40
... Davi defronta-se com o gigante e mata-o 17:41-49
... Os filisteus são dispersados 17:50-58
.
4) Davi entra para a família de Saul 18:1-30
... A amizade de Jônatas para com Davi 18:1-5
... O cântico das mulheres indigna a Saul 18:6-16
... O casamento de Davi 18:17-30
.
5) A rejeição de Davi por Saul 19:1-26:25
... Davi é protegido por Jônatas 19:1-10
...... Jônatas aplaca o ciúme que seu pai tem de Davi 19:1-7
...... De novo Saul procura matar Davi 19:8-10
... Davi é protegido por Mical 19:11-17
... Davi é protegido por Samuel 19:18-24
... Davi é protegido por Jônatas de novo 20:1-43
...... A entrevista de Davi com Jônatas 20:1-10
...... Jônatas faz uma aliança com Davi 20:11-29
...... Saul irado contra Jônatas 20:30-34
...... A separação de Davi e Jônatas 20:35-43
.
... Davi é protegido por Aimeleque 21:1-9
... Davi é protegido por Aquis 21:10-15
.
6) Davi e seu bando 22:1-26:25
... Na caverna de Adulão e em Mizpa 22:1-5
... Saul mata os sacerdotes 22:6-23
...... Saul mata todos os sacerdotes de Nobe 22:6-19
...... Abiatar, um dos sacerdotes, escapa e vem ter com Davi 22:20-23
.
... Em Queila 23:1-12
... No deserto de Zife, nova aliança com Jônatas 23:13-29
... Em Em-Gedi, Davi poupa a vida de Saul 24:1-22
... Davi e Abigail 25:1-44
...... A morte de Samuel e Davi vai para o deserto de Parã 25:1
...... Nabal recusa dar víveres aos servos de Davi 25:2-17
...... Abigail apazigua Davi 25:18-44
.
... No deserto de Zife poupa novamente a vida de Saul 26:1-25
...... Davi pouva Saul de novo 26:1-16
...... Conversa entre Davi e Saul 26:17-25
.
7) O refúgio de Davi entre os Filisteus 27:1-31:13
... Davi torna-se um vassalo dos filisteus 27:1-28:2
... Saul consulta uma médium em Em-Dor 28:3-35
... Davi é dispensado pelos filisteus 29:1-11
... Davi destrói os amalequitas 30:1-31
...... Ziclague é saqueada pelos amalequitas 30:1-6
...... Davi persegue os amalequitas e livra os cativos 30:7-20
...... Davi estabelece a lei da divisão da presa 30:21-31
.
... Os filisteus e a morte de Saul 31:1-13
.
.
.
.
.
Autor
O autor de 1Sm não é nomeado neste livro, mas é provável que Samuel ou tenha escrito ou fornecido a informação para. 1.1-25.1, o que engloba sua vida e ministério até sua morte. A autoria do restante de 1Sm não pode ser determinada com certeza, mas alguns supõem que seja do sacerdote Abiatar.
.
.
.
Data
Por causa da referência à cidade de Ziclague, que ? pertence aos reis de Judá, até o dia de hoje? (27.6), e por outras referencias a Judá e a Israel, sabemos que 1Sm foi escrito depois da divisão da nação em 931 aC. Além disso, como não há menção à queda de Samaria em 722 aC, deve ser datado antes deste evento. O livro de 1Sm cobre um período de cerca de 140 anos, começando com o nascimento de Samuel em redor de 1150 aC e terminando com a morte de Saul em redor de 1010 aC.
.
.
.
Conteúdo
Israel havia sido governado por juizes que Deus levantou em momentos cruciais da história da nação; no entanto, a nação havia se degenerado moralmente e politicamente. Havia estado sob a investida violentas e desalmadas dos filisteus. O templo de Siló fora profanado e o sacerdócio se mostra corrupto e imoral. Em meio a essa confusão política e religiosa surge Samuel, o milagroso filho de Ana. De uma forma notável, a renovação e a alegria que esse nascimento trouxe à sua mãe prefiguram o mesmo para a nação.
Os próprios filhos de Samuel não eram reflexo do seu caráter piedoso. O povo não tinha confiança nos seus filhos; mas a medida em que Samuel envelhecia, pressionavam-no para que lhes desse um rei. Com relutância, ele acaba cedendo. Saul, homem vistoso e carismático, é escolhido para tornar-se o primeiro rei. O seu ego era tão grande quanto a sua estatura. Pela sua impaciência, exerceu funções sacerdotais, em vez de esperar por Samuel. Depois de desprezar os mandamentos de Deus, foi rejeitado por ele. Depois dessa rejeição, Saul tornou-se uma figura trágica, consumida por ciúme e medo, perdendo gradualmente a sua sanidade. Gastou os seus últimos anos numa incansável perseguição a Davi através das regiões montanhosas e desérticas do seu reino, num desesperado esforço para eliminá-lo. Davi, no entanto, encontrou um aliado em Jônatas, filho de Saul. Ele advertiu Davi sobre os planos do seu pai para matá-lo. Finalmente, depois que Saul e Jônatas são mortos em batalha, o cenário está pronto para que Davi se torne o segundo rei de Israel.
.
.
.
Cristo Revelado
As semelhanças entre Jesus e o pequeno Samuel são surpreendentes. Ambos são filhos de promessa. Ambos foram dedicados a Deus antes do nascimento. Ambos forma pontes de transição de um estágio da história da nação para outro. Samuel acumulou os ofícios de profeta e sacerdote; Cristo é profeta, sacerdote e rei.
O fim trágico de Saul ilustra o destino final dos reinos terrenos. A única esperança é um Reino de Deus na terra, cujo soberano seja o próprio Deus. Em Davi começa a linhagem terrena do Rei de Deus. Em Cristo, Deus vem como Rei e virá novamente como Rei dos reis.
Davi, o pequeno e humilde pastor, prefigura a Cristo, o bom pastor. Jesus torna-se o Rei-pastor definitivo.
.
.
.
O Espírito Santo em Ação
1Sm contém notáveis exemplos da vinda do Espírito Santo sobre os profetas, bem como sobre Saul e seus servos. Em 10.6, o Espírito Santo vem sobre Saul, que profetiza e ?se transforma em outro homem?, isto é, é equipado pelo Espírito para cumprir o chamado de Deus.
Depois de ser ungido por Samuel, ?desde aquele dia em diante, o Espírito do SENHOR se apoderou de Davi? (16.13). O fenômeno do Espírito inspirando a adoração ocorre no cap. 10 e em 19.20. Esse fenômeno não é como o frenesi impregnado de emotividade dos pagãos, mas verdadeira adoração e louvor a Deus pela inspiração do Espírito, em semelhança ao ocorrido no dia de Pentecostes (At 2)
Mesmo nos múltiplos usos do éfode, Urim e Tumim, esperamos ansiosamente pelo momento em que o ?Espírito da Verdade? nos irá guiar em ?toda a verdade?, nos falará sobre ?o que há de vir? e ?há de receber do que é meu (de Jesus)? e no-lo ?há de anunciar? (Jo 16.13,14)

Publicidade
Publicidade
Join our community
Facebook
Twitter
Google plus
Publicidade