Mas o Senhor é fiel; ele os fortalecerá e os guardará do Maligno. 2 Tessalonicenses 3.3
Leitura diária na versão Nova Versão Internacional - Português


1 Samuel 18
1 Samuel 19
Marcos 13

1 Samuel 18


1
Depois dessa conversa de Davi com Saul, surgiu tão grande amizade entre Jônatas e Davi que Jônatas tornou-se o seu melhor amigo.
2
Daquele dia em diante, Saul manteve Davi consigo e não o deixou voltar à casa de seu pai.
3
E Jônatas fez um acordo de amizade com Davi, pois se tornara o seu melhor amigo.
4
Jônatas tirou o manto que estava vestindo e o deu a Davi, com sua túnica, e até sua espada, seu arco e seu cinturão.
5
Tudo o que Saul lhe ordenava fazer, Davi fazia com tanta habilidade[62]que Saul lhe deu um posto elevado no exército. Isso agradou a todo o povo, bem como aos conselheiros de Saul.
6
Quando os soldados voltavam para casa, depois que Davi matou o filisteu, as mulheres saíram de todas as cidades de Israel ao encontro do rei Saul com cânticos e danças, com tamborins, com músicas alegres e instrumentos de três cordas.
7
As mulheres dançavam e cantavam: "Saul matou milhares, e Davi, dezenas de milhares".
8
Saul ficou muito irritado com esse refrão e, aborrecido, disse: "Atribuíram a Davi dezenas de milhares, mas a mim apenas milhares. O que mais lhe falta senão o reino?"
9
Daí em diante Saul olhava com inveja para Davi.
10
No dia seguinte, um espírito maligno[63]mandado por Deus apoderou-se de Saul e ele entrou em transe[64] em sua casa, enquanto Davi tocava harpa, como costumava fazer. Saul estava com uma lança na mão
11
e a atirou, dizendo: "Encravarei Davi na parede". Mas Davi desviou-se duas vezes.
12
Saul tinha medo de Davi porque o Senhor o havia abandonado e agora estava com Davi.
13
Então afastou Davi de sua presença e deu-lhe o comando de uma tropa de mil soldados, que Davi conduzia em suas campanhas.
14
Ele tinha êxito[65]em tudo o que fazia, pois o Senhor estava com ele.
15
Vendo isso, Saul teve muito medo dele.
16
Todo o Israel e todo o Judá, porém, gostavam de Davi, pois ele os conduzia em suas batalhas.
17
Saul disse a Davi: "Aqui está a minha filha mais velha, Merabe. Eu a darei em casamento a você; apenas sirva-me com bravura e lute as batalhas do Senhor". Pois Saul pensou: "Não o matarei. Deixo isso para os filisteus!"
18
Mas Davi disse a Saul: "Quem sou eu, e o que é minha família ou o clã de meu pai em Israel, para que eu me torne genro do rei?"
19
Por isso, [66]quando chegou a época de Merabe, a filha de Saul, ser dada em casamento a Davi, ela foi dada a Adriel, de Meolá.
20
Mical, a outra filha de Saul, gostava de Davi. Quando disseram isso a Saul, ele ficou contente e pensou:
21
"Eu a darei a ele, para que lhe sirva de armadilha, fazendo-o cair nas mãos dos filisteus". Então Saul disse a Davi: "Hoje você tem uma segunda oportunidade de tornar-se meu genro".
22
Então Saul ordenou aos seus conselheiros que falassem em particular com Davi, dizendo: "O rei está satisfeito com você, e todos os seus conselheiros o estimam. Torne-se, agora, seu genro".
23
Quando falaram com Davi, ele disse: "Vocês acham que tornar-se genro do rei é fácil? Sou homem pobre e sem recursos".
24
Quando os conselheiros de Saul lhe contaram o que Davi tinha dito,
25
Saul ordenou que dissessem a Davi: "O rei não quer outro preço pela noiva além de cem prepúcios de filisteus, para vingar-se de seus inimigos". O plano de Saul era que Davi fosse morto pelos filisteus.
26
Quando os conselheiros falaram novamente com Davi, ele gostou da idéia de tornar-se genro do rei. Por isso, antes de terminar o prazo estipulado,
27
Davi e seus soldados saíram e mataram duzentos filisteus. Ele trouxe os prepúcios e apresentou-os ao rei para que se tornasse seu genro. Então Saul lhe deu em casamento sua filha Mical.
28
Quando Saul viu claramente que o Senhor estava com Davi e que sua filha Mical o amava,
29
temeu-o ainda mais e continuou seu inimigo pelo resto de sua vida.
30
Os comandantes filisteus continuaram saindo para a batalha, e, todas as vezes que o faziam, Davi tinha mais habilidade do que os outros oficiais de Saul, e assim tornou-se ainda mais famoso.

topo

1 Samuel 19


1
Saul falou a seu filho Jônatas e a todos os seus conselheiros sobre a sua intenção de matar Davi. Jônatas, porém, gostava muito de Davi
2
e o alertou: Meu pai está procurando uma oportunidade para matá-lo. Tenha cuidado amanhã cedo. Vá para um esconderijo e fique por lá.
3
Sairei e ficarei com meu pai no campo onde você estiver. Falarei a ele sobre você e, depois, contarei a você o que eu descobrir.
4
Jônatas falou bem de Davi a Saul, seu pai, e lhe disse: Que o rei não faça mal a seu servo Davi; ele não lhe fez mal nenhum. Ao contrário, o que ele fez trouxe grandes benefícios ao rei.
5
Ele arriscou a vida quando matou o filisteu. O Senhor trouxe grande vitória para todo o Israel; tu mesmo viste tudo e ficaste contente. Por que, então, farias mal a um inocente como Davi, matando-o sem motivo?
6
Saul atendeu a Jônatas e fez este juramento: "Juro pelo nome do Senhor que Davi não será morto".
7
Então Jônatas chamou Davi e lhe contou a conversa toda. Levou-o até Saul, e Davi voltou a servir a Saul como anteriormente.
8
E houve guerra outra vez, e Davi foi lutar contra os filisteus. Ele lhes impôs uma grande derrota, e eles fugiram dele.
9
Mas um espírito maligno[67]mandado pelo Senhor apoderou-se de Saul quando ele estava sentado em sua casa, com sua lança na mão. Enquanto Davi estava tocando harpa,
10
Saul tentou encravá-lo na parede com sua lança, mas Davi desviou-se e a lança encravou na parede. E Davi conseguiu escapar. Naquela mesma noite,
11
Saul enviou alguns homens à casa de Davi para vigiá-lo e matá-lo de manhã; mas Mical, a mulher de Davi, o alertou: "Se você não fugir esta noite para salvar sua vida, amanhã estará morto".
12
Então Mical fez Davi descer por uma janela, e ele fugiu.
13
Depois Mical pegou um ídolo do clã e o deitou na cama, pôs uma almofada de pêlos de cabra na cabeceira e o cobriu com um manto.
14
Quando chegaram os homens que Saul tinha enviado para prenderem Davi, Mical disse: "Ele está doente".
15
Então Saul enviou os homens de volta para verem Davi, dizendo: "Tragam-no até aqui em sua cama para que eu o mate".
16
Quando, porém, os homens entraram, o ídolo do clã estava na cama, e na cabeceira havia uma almofada de pêlos de cabra.
17
Saul disse a Mical: "Por que você me enganou desse modo e deixou que o meu inimigo escapasse?" Ela lhe respondeu: "Ele me disse que o deixasse fugir, se não me mataria."
18
Depois que fugiu, Davi foi falar com Samuel em Ramá e lhe contou tudo o que Saul lhe havia feito. Então ele e Samuel foram a Naiote e ficaram lá.
19
E Saul foi informado: "Davi está em Naiote, em Ramá", disseram-lhe.
20
Então Saul enviou alguns homens para capturá-lo. Todavia, quando viram um grupo de profetas profetizando, dirigidos por Samuel, o Espírito de Deus apoderou-se dos mensageiros de Saul, e eles também entraram em transe.
21
Contaram isso a Saul, e ele enviou mais mensageiros, e estes também entraram em transe. Depois mandou um terceiro grupo e eles também entraram em transe.
22
Finalmente, ele mesmo foi para Ramá. Chegando à grande cisterna do lugar chamado Seco, perguntou onde estavam Samuel e Davi. E lhe responderam: "Em Naiote de Ramá".
23
Então Saul foi para lá. Entretanto, o Espírito de Deus apoderou-se dele, e ele foi andando pelo caminho em transe, até chegar a Naiote.
24
Despindo-se de suas roupas, também profetizou na presença de Samuel, e, despido, ficou deitado todo aquele dia e toda aquela noite. Por isso, o povo diz: "Está Saul também entre os profetas?"

topo

Marcos 13


1
Quando ele estava saindo do templo, um de seus discípulos lhe disse: "Olha, Mestre! Que pedras enormes! Que construções magníficas!"
2
"Você está vendo todas estas grandes construções?", perguntou Jesus. "Aqui não ficará pedra sobre pedra; serão todas derrubadas."
3
Tendo Jesus se assentado no monte das Oliveiras, de frente para o templo, Pedro, Tiago, João e André lhe perguntaram em particular:
4
"Dize-nos, quando acontecerão essas coisas? E qual será o sinal de que tudo isso está prestes a cumprir-se?"
5
Jesus lhes disse: Cuidado, que ninguém os engane.
6
Muitos virão em meu nome, dizendo: "Sou eu!" e enganarão a muitos.
7
Quando ouvirem falar de guerras e rumores de guerras, não tenham medo. É necessário que tais coisas aconteçam, mas ainda não é o fim.
8
Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá terremotos em vários lugares e também fomes. Essas coisas são o início das dores.
9
Fiquem atentos, pois vocês serão entregues aos tribunais e serão açoitados nas sinagogas. Por minha causa vocês serão levados à presença de governadores e reis, como testemunho a eles.
10
E é necessário que antes o evangelho seja pregado a todas as nações.
11
Sempre que forem presos e levados a julgamento, não fiquem preocupados com o que vão dizer. Digam tão-somente o que lhes for dado naquela hora, pois não serão vocês que estarão falando, mas o Espírito Santo.
12
O irmão trairá seu próprio irmão, entregando-o à morte, e o mesmo fará o pai a seu filho. Filhos se rebelarão contra seus pais e os matarão.
13
Todos odiarão vocês por minha causa; mas aquele que perseverar até o fim será salvo.
14
Quando vocês virem "o sacrilégio terrível"[54] no lugar onde não deve estar ? quem lê, entenda ? então, os que estiverem na Judéia fujam para os montes.
15
Quem estiver no telhado de sua casa não desça nem entre em casa para tirar dela coisa alguma.
16
Quem estiver no campo não volte para pegar seu manto.
17
Como serão terríveis aqueles dias para as grávidas e para as que estiverem amamentando!
18
Orem para que essas coisas não aconteçam no inverno.
19
Porque aqueles serão dias de tribulação como nunca houve desde que Deus criou o mundo até agora, nem jamais haverá.
20
Se o Senhor não tivesse abreviado tais dias, ninguém sobreviveria[55]. Mas, por causa dos eleitos por ele escolhidos, ele os abreviou.
21
Se, então, alguém lhes disser: "Vejam, aqui está o Cristo!" ou: "Vejam, ali está ele!", não acreditem.
22
Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão sinais e maravilhas para, se possível, enganar os eleitos.
23
Por isso, fiquem atentos: avisei-os de tudo antecipadamente.
24
Mas naqueles dias, após aquela tribulação, "o sol escurecerá e a lua não dará a sua luz;
25
as estrelas cairão do céu e os poderes celestes serão abalados"[56].
26
Então se verá o Filho do homem vindo nas nuvens com grande poder e glória.
27
E ele enviará os seus anjos e reunirá os seus eleitos dos quatro ventos, dos confins da terra até os confins do céu.
28
Aprendam a lição da figueira: Quando seus ramos se renovam e suas folhas começam a brotar, vocês sabem que o verão está próximo.
29
Assim também, quando virem estas coisas acontecendo, saibam que ele está próximo, às portas.
30
Eu lhes asseguro que não passará esta geração até que todas estas coisas aconteçam.
31
Os céus e a terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão.
32
Quanto ao dia e à hora ninguém sabe, nem os anjos no céu, nem o Filho, senão somente o Pai.
33
Fiquem atentos! Vigiem! [57] Vocês não sabem quando virá esse tempo.
34
É como um homem que sai de viagem. Ele deixa sua casa, encarrega de tarefas cada um dos seus servos e ordena ao porteiro que vigie.
35
Portanto, vigiem, porque vocês não sabem quando o dono da casa voltará: se à tarde, à meia-noite, ao cantar do galo ou ao amanhecer.
36
Se ele vier de repente, que não os encontre dormindo!
37
O que lhes digo, digo a todos: Vigiem!

topo
Participe da nossa comunidade
Facebook
Twitter