Quem entre vocês teme o Senhor e obedece à palavra de seu servo? Que aquele que anda no escuro, que não tem luz alguma, confie no nome do Senhor e se apóie em seu Deus. Isaías 50.10
Leitura diária na versão Nova Versão Internacional - Português


Êxodo 3
Êxodo 4
Êxodo 5
Mateus 15.29-39
Mateus 16.1-12

Êxodo 3


1
Moisés pastoreava o rebanho de seu sogro Jetro, que era sacerdote de Midiã. Um dia levou o rebanho para o outro lado do deserto e chegou a Horebe, o monte de Deus.
2
Ali o Anjo do Senhor lhe apareceu numa chama de fogo que saía do meio de uma sarça. Moisés viu que, embora a sarça estivesse em chamas, não era consumida pelo fogo.
3
"Que impressionante!", pensou. "Por que a sarça não se queima? Vou ver isso de perto."
4
O Senhor viu que ele se aproximava para observar. E então, do meio da sarça Deus o chamou: "Moisés, Moisés!" "Eis-me aqui", respondeu ele.
5
Então disse Deus: "Não se aproxime. Tire as sandálias dos pés, pois o lugar em que você está é terra santa".
6
Disse ainda: "Eu sou o Deus de seu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó". Então Moisés cobriu o rosto, pois teve medo de olhar para Deus.
7
Disse o Senhor: De fato tenho visto a opressão sobre o meu povo no Egito, tenho escutado o seu clamor, por causa dos seus feitores, e sei quanto eles estão sofrendo.
8
Por isso desci para livrá-los das mãos dos egíp­cios e tirá-los daqui para uma terra boa e vasta, onde há leite e mel com fartura: a terra dos cananeus, dos hititas, dos amorreus, dos ferezeus, dos heveus e dos jebuseus.
9
Pois agora o clamor dos israelitas chegou a mim, e tenho visto como os egípcios os oprimem.
10
Vá, pois, agora; eu o envio ao faraó para tirar do Egito o meu povo, os israelitas.
11
Moisés, porém, respondeu a Deus: "Quem sou eu para apresentar-me ao faraó e tirar os israelitas do Egito?"
12
Deus afirmou: "Eu estarei com você. Esta é a prova de que sou eu quem o envia: quan­do você tirar o povo do Egito, vocês pres­tarão culto a Deus neste monte".
13
Moisés perguntou: "Quando eu chegar diante dos israelitas e lhes disser: O Deus dos seus antepassados me enviou a vocês, e eles me perguntarem: "Qual é o nome dele?" Que lhes direi?"
14
Disse Deus a Moisés: "Eu Sou o que Sou. É isto que você dirá aos israelitas: Eu Sou me enviou a vocês".
15
Disse também Deus a Moisés: Diga aos israelitas: O Senhor [5], o Deus dos seus ante­passados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó, enviou-me a vocês. Esse é o meu nome para sempre, nome pelo qual serei lembrado de geração em geração.
16
Vá, reúna as autoridades de Israel e diga-lhes: O Senhor, o Deus dos seus antepas­sados, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, apareceu a mim e disse: Eu virei em auxílio de vocês; pois vi o que lhes tem sido feito no Egi­to.
17
Prometi tirá-los da opressão do Egito para a terra dos cananeus, dos hititas, dos amorreus, dos ferezeus, dos heveus e dos jebuseus, terra onde há leite e mel com fartura.
18
As autoridades de Israel o atenderão. Depois você irá com elas ao rei do Egito e lhe dirá: O Senhor, o Deus dos hebreus, veio ao nosso encontro. Agora, deixe-nos fazer uma caminhada de três dias, adentrando o deserto, para oferecermos sacrifícios ao Senhor, o nosso Deus.
19
Eu sei que o rei do Egito não os deixará sair, a não ser que uma poderosa mão o force.
20
Por isso estenderei a minha mão e ferirei os egípcios com todas as maravilhas que realizarei no meio deles. Depois disso ele os deixará sair.
21
E farei que os egípcios tenham boa vontade para com o povo, de modo que, quan­do vocês saírem, não sairão de mãos vazias.
22
To­das as israelitas pedirão às suas vizinhas, e às mulheres que estiverem hospedando em casa, objetos de prata e de ouro, e roupas, que vocês porão em seus filhos e em suas filhas. Assim vocês despojarão os egíp­cios.

topo

Êxodo 4


1
Moisés respondeu: "E se eles não acreditarem em mim nem quiserem me ouvir e disserem: "O Senhor não lhe apareceu"?"
2
Então o Senhor lhe perguntou: "Que é isso em sua mão?" "Uma vara", respondeu ele.
3
Disse o Senhor: "Jogue-a ao chão". Moisés jogou-a, e ela se transformou numa serpente. Moisés fugiu dela,
4
mas o Senhor lhe disse: "Estenda a mão e pegue-a pela cauda". Moisés estendeu a mão, pegou a ser­pente e esta se transformou numa vara em sua mão.
5
E disse o Senhor: "Isso é para que eles acreditem que o Deus dos seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó, apareceu a você".
6
Disse-lhe mais o Senhor: "Coloque a mão no peito". Moisés obedeceu e, quando a retirou, ela estava leprosa[6]; parecia neve.
7
Ordenou-lhe depois: "Agora, coloque de novo a mão no peito". Moisés tornou a pôr a mão no peito e, quando a tirou, ela estava nova­mente como o restante da sua pele.
8
Prosseguiu o Senhor: Se eles não acreditarem em você nem derem atenção ao primeiro sinal milagroso, acreditarão no se­gundo.
9
E se ainda assim não acreditarem nestes dois sinais nem lhe derem ouvidos, tire um pou­co de água do Nilo e derrame-a em terra seca. Quando você derramar essa água em terra seca ela se transformará em sangue.
10
Disse, porém, Moisés ao Senhor: "Ó Senhor! Nunca tive facilidade para falar, nem no passado nem agora que falaste a teu servo. Não consigo falar bem!"
11
Disse-lhe o Senhor: Quem deu boca ao homem? Quem o fez surdo ou mudo? Quem lhe concede vista ou o torna cego? Não sou eu, o Senhor?
12
Agora, pois, vá; eu estarei com você, ensinando-lhe o que dizer.
13
Respondeu-lhe, porém, Moisés: "Ah, Senhor! Peço-te que envies outra pessoa".
14
Então o Senhor se irou com Moisés e lhe disse: Você não tem o seu irmão Arão, o levita? Eu sei que ele fala bem. Ele já está vin­do ao seu encontro e se alegrará ao vê-lo.
15
Você falará com ele e lhe dirá o que ele deve dizer; eu estarei com vocês quando falarem, e lhes direi o que fazer.
16
Assim como Deus fala ao profeta, você falará a seu irmão, e ele será o seu porta-voz diante do povo.
17
E leve na mão esta vara; com ela você fará os sinais milagrosos.
18
Depois Moisés voltou a Jetro, seu sogro, e lhe disse: "Preciso voltar ao Egito para ver se meus parentes ainda vivem". Jetro lhe respondeu: "Vá em paz!"
19
Ora, o Senhor tinha dito a Moisés, em Midiã: "Volte ao Egito, pois já morreram todos os que procuravam matá-lo".
20
Então Moi­sés levou sua mulher e seus filhos montados num jumento e partiu de volta ao Egito. Levava na mão a vara de Deus.
21
Disse mais o Senhor a Moisés: Quan­do você voltar ao Egito, tenha o cuidado de fazer diante do faraó todas as maravilhas que concedi a você o poder de realizar. Mas eu vou endurecer o coração dele, para não deixar o povo ir.
22
Depois diga ao faraó que assim diz o Senhor: Israel é o meu primeiro filho,
23
e eu já lhe disse que deixe o meu filho ir para prestar-me culto. Mas você não quis deixá-lo ir; por isso matarei o seu primeiro filho!
24
Numa hospedaria ao longo do cami­nho, o Senhor foi ao encontro de Moisés[7] e procurou matá-lo.
25
Mas Zípora pegou uma pedra afiada, cortou o prepúcio de seu filho e tocou os pés de Moisés[8]. E disse: "Você é para mim um marido de sangue!"
26
Ela disse "mari­do de sangue", referindo-se à circuncisão. Nes­sa ocasião o Senhor o deixou.
27
Então o Senhor disse a Arão: "Vá ao deserto encontrar-se com Moisés". Ele foi, encontrou-se com Moisés no monte de Deus, e o saudou com um beijo.
28
Moisés contou a Arão tudo o que o Senhor lhe tinha mandado dizer, e também falou-lhe de todos os sinais milagrosos que lhe havia ordenado realizar.
29
Assim Moisés e Arão foram e reuni­ram todas as autoridades dos israelitas,
30
e Arão lhes contou tudo o que o Senhor dissera a Moi­sés. Em seguida Moisés também realizou os sinais diante do povo,
31
e eles creram. Quando o povo soube que o ­Senhordecidira vir em seu auxílio, tendo visto a sua opressão, curvou-se em adoração.

topo

Êxodo 5


1
Depois disso Moisés e Arão foram falar com o faraó e disseram: "Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: "Deixe o meu povo ir para celebrar-me uma festa no deserto"".
2
O faraó respondeu: "Quem é o Senhor, para que eu lhe obedeça e deixe Israel sair? Não conheço o Senhor, e não deixarei Israel sair".
3
Eles insistiram: "O Deus dos hebreus veio ao nosso encontro. Agora, permite-nos caminhar três dias no deserto, para oferecer sacri­fícios ao Senhor, o nosso Deus; caso contrário, ele nos atingirá com pragas ou com a espada".
4
Mas o rei do Egito respondeu: "Moisés e Arão, por que vocês estão fazendo o povo interromper suas tarefas? Voltem ao trabalho!"
5
E acrescentou: "Essa gente já é tão numerosa, e vocês ainda os fazem parar de trabalhar!"
6
No mesmo dia o faraó deu a seguinte ordem aos feitores e capatazes responsáveis pelo povo:
7
Não forneçam mais palha ao povo para fazer tijolos, como faziam antes. Eles que tratem de ajuntar palha!
8
Mas exijam que conti­nuem a fazer a mesma quantidade de tijolos; não reduzam a cota. São preguiçosos, e por isso estão clamando: "Iremos oferecer sacrifícios ao nosso Deus".
9
Aumentem a carga de trabalho dessa gente para que cumpram suas tarefas e não dêem atenção a mentiras.
10
Os feitores e os capatazes foram dizer ao povo: Assim diz o faraó: "Já não lhes darei palha.
11
Saiam e recolham-na onde puderem achá-la, pois o trabalho de vocês em nada será reduzido".
12
O povo, então, espalhou-se por todo o Egito, a fim de ajuntar restolho em lugar da palha.
13
Enquanto isso, os feitores os pressionavam, dizendo: "Completem a mesma tarefa diária que lhes foi exigida quando tinham pa­lha".
14
Os capatazes israelitas indicados pelos feitores do faraó eram espancados e interroga­dos: "Por que não completaram ontem e hoje a mesma cota de tijolos dos dias anteriores?"
15
Então os capatazes israelitas foram apelar para o faraó: Por que tratas os teus ser­vos dessa maneira?
16
Nós, teus servos, não recebemos palha, e, contudo, nos dizem: "Façam tijolos!" Os teus servos têm sido espancados, mas a culpa é do teu próprio povo[9].
17
Respondeu o faraó: Preguiçosos é o que vocês são! Preguiçosos! Por isso andam dizendo: "Iremos oferecer sacrifícios ao Senhor".
18
Agora, voltem ao trabalho. Vocês não receberão palha alguma! Continuem a produzir a cota integral de tijolos!
19
Os capatazes israelitas se viram em dificuldade quando lhes disseram que não poderiam reduzir a quantidade de tijolos exigida a cada dia.
20
Ao saírem da presença do faraó, encontraram-se com Moisés e Arão, que estavam à espera deles,
21
e lhes disseram: "O Senhor os examine e os julgue! Vocês atraíram o ódio[10] do faraó e dos seus conselheiros sobre nós, e lhes puseram nas mãos uma espada para que nos matem".
22
Moisés voltou-se para o Senhor e perguntou: Senhor, por que maltrataste este povo? Afinal, por que me enviaste?
23
Desde que me dirigi ao faraó para falar em teu nome, ele tem maltratado este povo, e tu de modo algum libertaste o teu povo!

topo

Mateus 15

29-39
29
Jesus saiu dali e foi para a beira do mar da Galiléia. Depois subiu a um monte e se assentou.
30
Uma grande multidão dirigiu-se a ele, levando-lhe os aleijados, os cegos, os mancos, os mudos e muitos outros, e os colocaram aos seus pés; e ele os curou.
31
O povo ficou admirado quando viu os mudos falando, os mancos curados, os aleijados andando e os cegos vendo. E louvaram o Deus de Israel.
32
Jesus chamou os seus discípulos e disse: "Tenho compaixão desta multidão; já faz três dias que eles estão comigo e nada têm para comer. Não quero mandá-los embora com fome, porque podem desfalecer no caminho".
33
Os seus discípulos responderam: "Onde poderíamos encontrar, neste lugar deserto, pão suficiente para alimentar tanta gente?"
34
"Quantos pães vocês têm?", perguntou Jesus. "Sete", responderam eles, "e alguns peixinhos."
35
Ele ordenou à multidão que se assentasse no chão.
36
Depois de tomar os sete pães e os peixes e dar graças, partiu-os e os entregou aos discípulos, e os discípulos à multidão.
37
Todos comeram até se fartar. E ajuntaram sete cestos cheios de pedaços que sobraram.
38
Os que comeram foram quatro mil homens, sem contar mulheres e crianças.
39
E, havendo despedido a multidão, Jesus entrou no barco e foi para a região de Magadã.

topo

Mateus 16

1-12
1
Os fariseus e os saduceus aproximaram-se de Jesus e o puseram à prova, pedindo-lhe que lhes mostrasse um sinal do céu.
2
Ele respondeu: Quando a tarde vem, vocês dizem: "Vai fazer bom tempo, porque o céu está vermelho",
3
e de manhã: "Hoje haverá tempestade, porque o céu está vermelho e nublado". Vocês sabem interpretar o aspecto do céu, mas não sabem interpretar os sinais dos tempos! [74]
4
Uma geração perversa e adúltera pede um sinal milagroso, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal de Jonas. Então Jesus os deixou e retirou-se.
5
Indo os discípulos para o outro lado do mar, esqueceram-se de levar pão.
6
Disse-lhes Jesus: "Estejam atentos e tenham cuidado com o fermento dos fariseus e dos saduceus".
7
E eles discutiam entre si, dizendo: "É porque não trouxemos pão".
8
Percebendo a discussão, Jesus lhes perguntou: Homens de pequena fé, por que vocês estão discutindo entre si sobre não terem pão?
9
Ainda não compreendem? Não se lembram dos cinco pães para os cinco mil e de quantos cestos vocês recolheram?
10
Nem dos sete pães para os quatro mil e de quantos cestos recolheram?
11
Como é que vocês não entendem que não era de pão que eu estava lhes falando? Tomem cuidado com o fermento dos fariseus e dos saduceus.
12
Então entenderam que não estava lhes dizendo que tomassem cuidado com o fermento de pão, mas com o ensino dos fariseus e dos saduceus.

topo
Participe da nossa comunidade
Facebook
Twitter