Mas eu, sim, Eu mesmo, para manter o meu nome, apago os seus pecados e nunca mais Me lembrarei deles. Isaías 43.25
Leitura diária na versão Bíblia Viva - Português


2 Crônicas 33
2 Crônicas 34
Lucas 19.1-27

2 Crônicas 33


1
ESTAVA MANASSÉS com apenas doze anos de idade quando se tornou rei, e reinou cinqüenta e cinco anos em Jerusalém.
2
Mas foi um mau reinado, porque ele estimulou o povo a adorar as imagens dos povos que o Senhor havia destruído, quando o povo de Israel entrou na terra.
3
Ele reconstruiu os altares dos deuses falsos que seu pai Ezequias tinha destruído - os altares de Baal e das imagens de Aserá, e adorava e prestava culto ao sol, à lua e às estrelas.
4
Até construiu altares para os deuses falsos nos dois pátios do templo do Senhor em Jerusalém, para adoração do sol, da lua e das estrelas - no mesmo lugar onde o Senhor tinha dito que Ele seria honrado para sempre, Manassés sacrificou também seus próprios filhos como ofertas queimadas no Vale de Hinom. Além disso, consultava médiuns espíritas, adivinhadores e feiticeiros, e encorajou toda espécie de mal diante do Senhor, deixando o Senhor muito zangado.
7
Pense nisto! Ele colocou uma imagem no próprio templo de Deus, onde o Senhor tinha dito a Davi e a seu filho Salomão: "Eu serei honrado aqui neste templo, e em Jerusalém - a cidade que escolhi a fim de ser honrado para sempre acima de todas as outras cidades de Israel".
8
"E se vocês obedecerem aos meus mandamentos - todas as leis e instruções dadas a vocês por Moisés - Eu nunca mais tirarei Israel desta terra que dei a seus pais."
9
Porém Manassés estimulou o povo de Judá e de Jerusalém a fazer males ainda maiores do que as nações que o Senhor havia destruído quando Israel entrou na terra.
10
Tanto Manassés como seu povo não deram atenção aos avisos do Senhor.
11
Por isso Deus mandou os exércitos assírios, e eles o prenderam com ganchos e o amarraram com correntes de bronze e o levaram para a Babilônia.
12
Cheio de pavor e aflito, Manassés orou humildemente ao Senhor Deus, pedindo socorro.
13
E quando fez assim, o Senhor ouviu, teve misericórdia dele, e respondeu ao seu pedido, levando-o de volta a Jerusalém e ao seu reino! Manassés reconheceu então finalmente que o Senhor era realmente Deus!
14
Depois disto foi que ele reconstruiu o muro de fora da cidade de Davi, e o muro do lado oeste da Fonte de Giom, no vale do Cedrom, e depois até á Porta do Peixe, e ao redor da Montanha Fortaleza, onde o muro foi construído muito alto. Colocou generais do seu exército em todas as cidades fortificadas de Judá.
15
Também retirou os deuses estranhos e a imagem que ele tinha dentro do templo, e fez em pedaços os altares que ele havia construído na montanha onde estava o templo, e os altares que estavam em Jerusalém. Jogou tudo para fora da cidade.
16
Depois, reconstruiu o altar do Senhor e ofereceu sacrifícios sobre ele - sacrifícios de paz e ofertas de ações de graça. - Exigiu que o povo de Judá adorasse ao Senhor Deus de Israel.
17
Contudo, o povo ainda oferecia sacrifícios nos altares dos montes, mas somente ao Senhor seu Deus.
18
O restante dos atos de Manassés, sua oração a Deus, e a resposta do Senhor de Israel por meio dos profetas, tudo está escrito no Livro dos Reis de Israel.
19
A oração que ele fez, a maneira como Deus respondeu, e um franco relato de seus pecados e erros, inclusive uma lista dos lugares onde construiu imagens nas montanhas, e colocou imagens de Aserá e imagens de escultura - isto, naturalmente, foi antes da grande mudança em sua vida, - tudo isso está registrado no Livro dos Profetas.
20
Quando Manassés morreu, foi sepultado no seu próprio palácio, e seu filho Amam se tornou o novo rei. Amam estava com vinte e dois anos de idade quando começou a reinar em Jerusalém, mas seu reinado durou apenas dois anos.
22
Foi um mau reinado, igual ao dos primeiros anos de seu pai Manassés, porque Amam sacrificou a todas as imagens como seu pai tinha feito e prestou culto a elas
23
porém não mudou de atitude, humilhando-se como seu pai. Em vez disso, pecava cada vez mais.
24
Por fim, seus próprios oficiais tramaram e o assassinaram no seu palácio.
25
Mas alguns cidadãos de espírito cívico mataram todos aqueles que o assassinaram, e declararam seu filho Josias como o novo rei.

topo

2 Crônicas 34


1
JOSIAS ESTAVA com oito anos de idade quando se tornou rei. Ele reinou trinta e um anos em Jerusalém.
2
Seu reinado foi bom, visto ter seguido com muito cuidado o bom exemplo de seu pai Davi.
3
Porque quando ele estava com dezesseis anos de idade, no oitavo ano de seu reinado, começou a buscar o Deus de seu pai Davi. Quatro anos depois, começou a purificar Judá e Jerusalém, destruindo os altares dos deuses falsos e as imagens de Aserá sobre os montes.
4
Foi pessoalmente ver como eram desmanchados os altares de Baal, como eram derrubadas as colunas sobre os altares, e as imagens de Aserá reduzidas a pó e espalhadas sobre os túmulos daqueles que ofereciam sacrifícios a esses deuses.
5
Depois ele queimou sobre seus próprios altares os ossos dos sacerdotes que não adoravam a Deus, achando que esta atitude tiraria do povo de Judá e de Jerusalém a culpa do pecado de adoração de imagens.
6
A seguir, foi às cidades de Manassés, de Efraim e de Simeão, e até à distante Naftali, e fez à mesma coisa nesses lugares.
7
Derrubou os altares dos deuses falsos, reduziu à pó as imagens de Aserá, e derrubou as colunas. Fez isto em toda parte da terra de Israel, antes de voltar para Jerusalém.
8
No décimo oitavo ano de seu reinado, depois que ele havia purificado a terra e posto em ordem a situação do templo, nomeou a Safã (filho de Azalias), a Maaséias, governador de Jerusalém, e a Joá (filho de Joacaz), tesoureiro da cidade, para consertarem o templo.
9
Josias estabeleceu um sistema de recolher donativos para o templo. O dinheiro era recolhido nas portas do templo pelos levitas que estavam de serviço ali. Os donativos eram trazidos pelas pessoas que vinham de Manassés, de Efraim e de outras partes do restante de Israel, bem como do povo de Jerusalém. O dinheiro foi levado ao sumo sacerdote Hilquias para contagem
10
e depois usado pelos levitas para pagar os carpinteiros e pedreiros, e para comprar material de construção - blocos de pedra para construção, madeira, vigas. Ele reconstruiu então o que os reis anteriores de Judá haviam demolido.
12
Os trabalhadores foram ativos e fiéis sob a chefia de Jaate e Obadias, levitas da família de Merari. Zacarias e Mesulão, da família de Coate, eram os dirigentes da construção.
13
Os levitas que entendiam bem de música tocavam para louvar ao Senhor enquanto a obra progredia. Outros levitas dirigiam os trabalhadores comuns que traziam os materiais para os operários. E ainda outros ajudavam como contadores, supervisores e carregadores.
14
Um dia, quando Hilquias, o sumo sacerdote, estava no templo registrando o dinheiro recolhido nas portas, encontrou um velho livro que se verificou ser o livro das Leis de Deus dadas a Moisés!
15
"Olhe!" exclamou Hilquias a Safã, o secretário do rei. "Veja o que eu encontrei no templo! Essas são as Leis de Deus!" Hilquias entregou o livro a Safã, e Safã o levou ao rei, junto com seu relatório de que a reconstrução do templo estava andando bem.
17
"Os cofres de dinheiro foram abertos e contados. O dinheiro foi entregue nas mãos dos dirigentes e dos trabalhadores", disse ele ao rei.
18
Safã falou sobre o livro, e como Hilquias o descobriu. E ele leu o livro para o rei ouvir.
19
Quando o rei ouviu o que essas Leis exigiam do povo de Deus, rasgou as suas roupas em desespero
20
e mandou chamar a Hilquias, a Aicão (filho de Safã), a Abdom (filho de Mica), a Safã, o tesoureiro e a Asaías, ajudante pessoal do rei.
21
"Vão ao templo e orem ao Senhor por mim!" disse-lhes o rei. "Orem por todo o restante de Israel e de Judá! Porque este livro diz que o motivo pelo qual a grande ira do Senhor foi derramada sobre nós, é que nossos pais não obedeceram a essas Leis que estão escritas aqui."
22
Então Hilquias e os demais homens foram à casa da profetisa Hulda, esposa de Salum (filho de Tocate, filho de Harás). Salum era o alfaiate do rei; ele morava na parte baixa de Jerusalém. Quando contaram a ela sobre o problema do rei
23
ela respondeu: "O Senhor Deus de Israel diz: Digam ao homem que enviou vocês:"
24
"`Sim, o Senhor vai destruir esta cidade e seu povo. Todas as maldições escritas no livro lido diante do rei vão acontecer".
25
"Pois meu povo Me abandonou e adorou deuses falsos, e estou muito zangado com eles por causa das suas ações. Portanto, o meu furor está derramado sobre este lugar e não se retirará."
26
"Mas também o Senhor diz isto ao rei de Judá, que enviou vocês a me perguntarem a respeito deste assunto: Digam a ele que o Senhor, Deus de Israel, diz":
27
"Já que você está triste e se humilhou diante de Mim quando ouviu minhas palavras contra esta cidade e seu povo, e rasgou sua roupa em desespero e chorou perante Mim - Eu ouvi a sua oração, diz o Senhor".
28
"Não enviarei o mal prometido sobre esta cidade e seu povo antes da sua morte". Assim eles levaram ao rei esta palavra do Senhor.
29
Então o rei mandou chamar todos os homens importantes de Judá e de Jerusalém
30
os sacerdotes e levitas e todo o povo, tanto grandes como pequenos, para acompanhá-lo ao templo. Ali o rei leu o livro para eles - o contrato de Deus que foi achado no templo.
31
Enquanto o rei estava diante deles, fez uma promessa ao Senhor de seguir os seus mandamentos, testemunhos e decretos com todo o seu coração e sua alma, e fazer o que estava escrito no livro.
32
Ele exigiu que todos em Jerusalém e Benjamim prometessem cumprir este contrato com Deus, e todos eles prometeram.
33
Assim Josias retirou todas as imagens das áreas ocupadas pelos judeus, e exigiu que todos adorassem ao Senhor seu Deus. E por todo o restante da vida do rei, eles continuaram servindo ao Senhor, o Deus de seus pais.

topo

Lucas 19

1-27
1
QUANDO JESUS estava passando por Jericó, um homem chamado Zaqueu, um dos judeus mais influentes no negócio de cobrança de impostos dos romanos (e, naturalmente, um homem muito rico)
2
QUANDO JESUS estava passando por Jericó, um homem chamado Zaqueu, um dos judeus mais influentes no negócio de cobrança de impostos dos romanos (e, naturalmente, um homem muito rico)
3
Procurava ver quem era Jesus, porém era muito baixo e não podia olhar por cima do povo.
4
Por isso ele correu na frente e subiu em um pé de sicômoro ao lado da estrada, para ver dali.
5
Quando Jesus chegou, levantou o olhar para Zaqueu e o chamou pelo nome! "Zaqueu" , disse Ele, "Depressa! Desça dai, pois hoje Eu vou hospedar-Me em sua casa!"
6
Zaqueu desceu apressadamente e levou Jesus para casa, com grande emoção e alegria.
7
Mas o povo se queixava: "Ele foi Se hospedar bem com um pecador tão conhecido", falavam em voz baixa.
8
Nisso, Zaqueu levantou-se diante do Senhor e disse: "Senhor, de agora em diante eu darei metade da minha riqueza aos pobres e se descobrir que cobrei demais os impostos de alguém eu pagarei uma multa devolvendo-lhe quatro vezes mais!"
9
Jesus lhe disse: "Isso mostra que hoje a salvação chegou a esta casa. Este homem era um dos filhos perdidos de Abraão, e Eu, o Messias, vim buscar e salvar almas como a dele".
10
Jesus lhe disse: "Isso mostra que hoje a salvação chegou a esta casa. Este homem era um dos filhos perdidos de Abraão, e Eu, o Messias, vim buscar e salvar almas como a dele".
11
Porque Jesus estava Se aproximando de Jerusalém, contou uma história para corrigir a impressão de que o Reino de Deus estava para começar logo.
12
"Um homem nobre que morava em certa província foi chamado à distante capital do império para ser coroado rei da sua província.
13
Antes de partir, ele reuniu dez auxiliares e deu a cada um deles certa quantia em dinheiro, para empregarem enquanto ele estivesse ausente.
14
Mas alguns do seu povo o odiavam, e enviaram uma declaração de independência, dizendo que se haviam revoltado e não o reconheceriam como o seu rei.
15
Ao voltar, ele chamou os homens a quem tinha dado o dinheiro, para saber o que haviam feito com ele, e quais haviam sido os lucros.
16
O primeiro homem conseguiu um lucro enorme - dez vezes mais a quantia recebida!
17
"Ótimo" exclamou o rei. 'Você é um servo eficiente. Foi fiel no pouco que lhe confiei, e como recompensa, será governador de dez cidades' .
18
O servo seguinte também conseguiu um lucro excelente: - cinco vezes a quantia recebida.
19
'Muito bem'! disse o seu patrão. 'Você pode ser governador de cinco cidades'.
20
Mas o terceiro servo trouxe de volta apenas o dinheiro com que havia começado. 'Eu o guardei bem seguro', disse ele
21
porque fiquei com medo do senhor, que é um homem duro de se tratar, tirando o que não é seu e até tomando a colheita do que os outros plantam!'
22
'Seu servo mau e ruim', gritou o rei. 'Duro, eu? Pois é exatamente o que eu vou ser com você! Se você sabia tanto a meu respeito, e como eu sou violento
23
então por que não depositou o dinheiro no banco, para que pelo menos eu ganhasse algum juro com ele?'
24
Assim, pois, voltando-se para os outros que se achavam ali, mandou: 'Tomem o dinheiro dele e dêem ao homem que ganhou mais'.
25
'Mas, senhor', disseram, 'ele já tem muito!'
26
'Sim', respondeu o rei, 'mas sempre foi verdadeiro que aqueles que têm, ganham mais, e aqueles que têm pouco, em breve perdem até isso.
27
E agora, quanto a estes meus inimigos que se revoltaram, tragam todos aqui para que sejam mortos na minha presença'" .

topo
Participe da nossa comunidade
Facebook
Twitter