A bênção do Senhor é que enriquece e ele não a faz seguir de dor alguma. Provérbios 10.22
Leitura diária na versão Revisada - Português


Ezequiel 39
Ezequiel 40
Apocalipse 5

Ezequiel 39


1
Tu, pois, ó filho do homem, profetiza contra Gogue, e dize: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e Tubal
2
e te farei virar e, conduzindo-te, far-te-ei subir do extremo norte, e te trarei aos montes de Israel.
3
Com um golpe tirarei da tua mão esquerda o teu arco, e farei cair da tua mão direita as tuas flechas.
4
Nos montes de Israel cairás, tu e todas as tuas tropas, e os povos que estão contigo e às aves de rapina de toda espécie e aos animais do campo te darei, para que te devorem.
5
Sobre a face do campo cairás porque eu falei, diz o Senhor Deus.
6
E enviarei um fogo sobre Magogue, e entre os que habitam seguros nas ilhas e saberão que eu sou o Senhor.
7
E farei conhecido o meu santo nome no meio do meu povo Israel, e nunca mais deixarei profanar o meu santo nome e as nações saberão que eu sou o Senhor, o Santo em Israel.
8
Eis que isso vem, e se cumprirá, diz o Senhor Deus este é o dia de que tenho falado.
9
E os habitantes das cidades de Israel sairão, e com as armas acenderão o fogo, e queimarão os escudos e os paveses, os arcos e as flechas, os bastões de mão e as lanças acenderão o fogo com tudo isso por sete anos
10
e não trarão lenha do campo, nem a cortarão dos bosques, mas com as armas acenderão o fogo e roubarão aos que os roubaram, e despojarão aos que os despojaram, diz o Senhor Deus.
11
Naquele dia, darei a Gogue como lugar de sepultura em Israel, o vale dos que passam ao oriente do mar, o qual fará parar os que por ele passarem e ali sepultarão a Gogue, e a toda a sua multidão, e lhe chamarão o Vale de Hamom-Gogue.
12
E a casa de Israel levará sete meses em sepultá-los, para purificar a terra.
13
Sim, todo o povo da terra os enterrará e isto lhes servirá de fama, no dia em que eu for glorificado, diz o Senhor Deus.
14
Separarão, pois, homens que incessantemente percorrerão a terra, para que sepultem os que tiverem ficado sobre a face da terra, para a purificarem. Depois de passados sete meses, farão a busca
15
e quando percorrerem a terra, vendo alguém um osso de homem, levantar-lhe-á ao pé um sinal, até que os enterradores o enterrem no Vale de Hamom-Gogue.
16
E também o nome da cidade será Hamona. Assim purificarão a terra.
17
Tu, pois, ó filho do homem, assim diz o Senhor Deus: Dize às aves de toda espécie, e a todos os animais do campo: Ajuntai-vos e vinde ajuntai-vos de todos os lados para o meu sacrifício, que eu sacrifico por vós, sacrifício grande sobre os montes de Israel, para comerdes carne e beberdes sangue.
18
Comereis as carnes dos poderosos e bebereis o sangue dos príncipes da terra, dos carneiros e dos cordeiros, dos bodes e dos novilhos, todos eles cevados em Basã.
19
Comereis da gordura até vos fartardes, e bebereis do sangue até vos embebedardes, da gordura e do sangue do sacrifício que vos estou preparando.
20
E à minha mesa vos fartareis de cavalos e de cavaleiros, de valentes e de todos os homens de guerra, diz o Senhor Deus.
21
Estabelecerei, pois, a minha glória entre as nações, e todas as nações verão o meu juízo, que eu tiver executado, e a minha mão, que sobre elas eu tiver descarregado.
22
E os da casa de Israel saberão desde aquele dia em diante, que eu sou o Senhor Deus.
23
E as nações saberão que os da casa de Israel, por causa da sua iniqüidade, foram levados em cativeiro porque se houveram traiçoeiramente para comigo, e eu escondi deles o meu rosto por isso os entreguei nas mãos de seus adversários, e todos caíram à espada.
24
Conforme a sua imundícia e conforme as suas transgressões me houve com eles, e escondi deles o meu rosto.
25
Portanto assim diz o Senhor Deus: Agora tornarei a trazer Jacó, e me compadecerei de toda a casa de Israel terei zelo pelo meu santo nome.
26
E eles se esquecerão tanto do seu opróbrio, como de todas as suas infidelidades pelas quais transgrediram contra mim, quando eles habitarem seguros na sua terra, sem haver quem os amedronte
27
quando eu os tornar a trazer de entre os povos, e os houver ajuntado das terras de seus inimigos, e for santificado neles aos olhos de muitas nações.
28
Então saberão que eu sou o Senhor seu Deus, vendo que eu os fiz ir em cativeiro entre as nações, e os tornei a ajuntar para a sua terra. Não deixarei lá nenhum deles
29
nem lhes esconderei mais o meu rosto pois derramei o meu Espírito sobre a casa de Israel, diz o Senhor Deus.

topo

Ezequiel 40


1
No ano vinte e cinco do nosso cativeiro, no princípio do ano, no décimo dia do mês, no ano catorze depois que a cidade foi conquistada, naquele mesmo dia veio sobre mim a mão do Senhor,
2
e em visões de Deus me levou à terra de Israel, e me pôs sobre um monte muito alto, sobre o qual havia como que um edifício de cidade para a banda do sul.
3
Levou-me, pois, para lá e eis um homem cuja aparência era como a do bronze, tendo na mão um cordel de linho e uma cana de medir e ele estava em pé na porta.
4
E disse-me o homem: Filho do homem, vê com os teus olhos, e ouve com os teus ouvidos, e põe no teu coração tudo quanto eu te fizer ver porque, para to mostrar foste tu aqui trazido. Anuncia pois à casa de Israel tudo quanto vires.
5
E havia um muro ao redor da casa do lado de fora, e na mão do homem uma cana de medir de seis côvados de comprimento, tendo cada côvado um palmo a mais e ele mediu a largura do edifício, era uma cana e a altura, uma cana.
6
Então veio à porta que olhava para o oriente, e subiu pelos seus degraus mediu o limiar da porta, era uma cana de largo, e o outro limiar, uma cana de largo.
7
E cada câmara tinha uma cana de comprido, e uma cana de largo e o espaço entre as câmaras era de cinco côvados e o limiar da porta, ao pé do vestíbulo da porta, em direção da casa, tinha uma cana.
8
Também mediu o vestíbulo da porta em direção da casa, uma cana.
9
Então mediu o vestíbulo da porta, e tinha oito côvados e os seus pilares, dois côvados e o vestíbulo da porta olha para a casa.
10
E as câmaras da porta para o lado do oriente eram três dum lado, e três do outro a mesma medida era a das três também os umbrais dum lado e do outro tinham a mesma medida.
11
Mediu mais a largura da entrada da porta, que era de dez côvados e o comprimento da porta, treze côvados.
12
E a margem em frente das câmaras dum lado era de um côvado, e de um côvado a margem do outro lado e cada câmara tinha seis côvados de um lado, e seis côvados do outro.
13
Então mediu a porta desde o telhado de uma câmara até o telhado da outra, era vinte e cinco côvados de largo, estando porta defronte de porta.
14
Mediu também o vestíbulo, vinte côvados e em torno do vestíbulo da porta estava o átrio.
15
E, desde a dianteira da porta da entrada até a dianteira do vestíbulo da porta interior, havia cinquenta côvados.
16
Havia também janelas de fechar nas câmaras e nos seus umbrais, dentro da porta ao redor, e da mesma sorte nos vestíbulos e as janelas estavam à roda pela parte de dentro e nos umbrais havia palmeiras.
17
Então ele me levou ao átrio exterior e eis que havia câmaras e um pavimento feitos para o átrio em redor trinta câmaras havia naquele pavimento.
18
E o pavimento, isto é, o pavimento inferior, corria junto às portas segundo o comprimento das portas.
19
A seguir ele mediu a largura desde a dianteira da porta inferior até a dianteira do átrio interior, por fora, cem côvados, tanto do oriente como do norte.
20
E, quanto à porta que olhava para o norte, no átrio exterior, ele mediu o seu comprimento e a sua largura.
21
As suas câmaras eram três dum lado, e três do outro e os seus umbrais e os seus vestíbulos eram da medida da primeira porta: de cinqüenta côvados era o seu comprimento, e a largura de vinte e cinco côvados.
22
As suas janelas, e o seu vestíbulo, e as suas palmeiras eram da medida da porta que olhava para o oriente e subia-se para ela por sete degraus e o seu vestíbulo estava diante dela.
23
Havia uma porta do átrio interior defronte da outra porta tanto do norte como do oriente e mediu de porta a porta cem côvados.
24
Então ele me levou ao caminho do sul e eis que havia ali uma porta que olhava para o sul e mediu os seus umbrais e o seu vestíbulo conforme estas medidas.
25
E havia também janelas em redor do seu vestíbulo, como as outras janelas cinqüenta côvados era o comprimento, e a largura vinte e cinco côvados.
26
Subia-se a ela por sete degraus, e o seu vestíbulo era diante deles e tinha palmeiras, uma de uma banda e outra da outra, nos seus umbrais.
27
Também havia uma porta para o átrio interior que olha para o sul e mediu de porta a porta, para o sul, cem côvados.
28
Então me levou ao átrio interior pela porta do sul e mediu a porta do sul conforme estas medidas.
29
E as suas câmaras, e os seus umbrais, e o seu vestíbulo eram conforme estas medidas e nele havia janelas e no seu vestíbulo ao redor o comprimento era de cinquenta côvados, e a largura de vinte e cinco côvados.
30
Havia um vestíbulo em redor o comprimento era de vinte e cinco côvados e a largura de cinco côvados.
31
O seu vestíbulo olhava para o átrio exterior e havia palmeiras nos seus umbrais e subia-se a ele por oito degraus.
32
Depois me levou ao átrio interior, que olha para o oriente e mediu a porta conforme estas medidas
33
e também as suas câmaras, e os seus umbrais, e o seu vestíbulo, conforme estas medidas também nele havia janelas e no seu vestíbulo ao redor o comprimento era de cinqüenta côvados, e a largura era de vinte e cinco côvados.
34
E o seu vestíbulo olhava para o átrio exterior também havia palmeiras nos seus umbrais de uma e de outra banda e subia-se a ele por oito degraus.
35
Então me levou à porta do norte e mediu-a conforme estas medidas.
36
As suas câmaras, os seus umbrais, e o seu vestíbulo também tinha janelas em redor o comprimento era de cinqüenta côvados, e a largura de vinte e cinco côvados.
37
E os seus umbrais olhavam para o átrio exterior também havia palmeiras nos seus umbrais de uma e de outra banda e subia-se a ela por oito degraus.
38
Havia uma câmara com a sua entrada junto aos umbrais perto das portas aí se lavava o holocausto.
39
E no vestíbulo da porta havia duas mesas de uma banda, e duas da outra, em que se haviam de imolar o holocausto e a oferta pelo pecado e a oferta pela culpa.
40
Também duma banda, do lado de fora, junto da subida para a entrada da porta que olha para o norte, havia duas mesas e da outra banda do vestíbulo da porta, havia duas mesas.
41
Havia quatro mesas de uma, e quatro mesas da outra banda, junto à porta oito mesas, sobre as quais imolavam os sacrifícios.
42
E havia para o holocausto quatro mesas de pedras lavradas, sendo o comprimento de um côvado e meio, a largura de um côvado e meio, e a altura de um côvado e sobre elas se punham os instrumentos com que imolavam o holocausto e o sacrifício.
43
E ganchos, de um palmo de comprido, estavam fixos por dentro ao redor e sobre as mesas estava a carne da oferta.
44
Fora da porta interior estavam as câmaras para os cantores, no átrio interior, que estava ao lado da porta do norte e elas olhavam para o sul uma estava ao lado da porta do oriente, e olhava para o norte.
45
E ele me disse: Esta câmara que olha para o sul é para os sacerdotes que têm a guarda do templo.
46
Mas a câmara que olha para o norte é para os sacerdotes que têm a guarda do altar, a saber, os filhos de Zadoque, os quais dentre os filhos de Levi se chegam ao Senhor para o servirem.
47
E mediu o átrio o comprimento era de cem côvados e a largura de cem côvados, um quadrado e o altar estava diante do templo.
48
Então me levou ao vestíbulo do templo, e mediu cada umbral do vestíbulo, cinco côvados de um lado e cinco côvados do outro e a largura da porta era de três côvados de um lado, e de três côvados do outro.
49
O comprimento do vestíbulo era de vinte côvados, e a largura de doze côvados e era por dez degraus que se subia a ele e havia colunas junto aos umbrais, uma de um lado e outra do outro.

topo

Apocalipse 5


1
Vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, bem selado com sete selos.
2
Vi também um anjo forte, clamando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de romper os seus selos?
3
E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele.
4
E eu chorava muito, porque não fora achado ninguém digno de abrir o livro nem de olhar para ele.
5
E disse-me um dentre os anciãos: Não chores eis que o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, venceu para abrir o livro e romper os sete selos.
6
Nisto vi, entre o trono e os quatro seres viventes, no meio dos anciãos, um Cordeiro em pé, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus, enviados por toda a terra.
7
E veio e tomou o livro da destra do que estava assentado sobre o trono.
8
Logo que tomou o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.
9
E cantavam um cântico novo, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo e nação
10
e para o nosso Deus os fizeste reino, e sacerdotes e eles reinarão sobre a terra.
11
E olhei, e vi a voz de muitos anjos ao redor do trono e dos seres viventes e dos anciãos e o número deles era miríades de miríades e o número deles era miríades de miríades e milhares de milhares,
12
que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor.
13
Ouvi também a toda criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e no mar, e a todas as coisas que neles há, dizerem: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos:
14
e os quatro seres viventes diziam: Amém. E os anciãos prostraram-se e adoraram.

topo
Participe da nossa comunidade
Facebook
Twitter