Guarda-me como à menina do olho esconde-me, à sombra das tuas asas, Salmo 17.8
Leitura diária na versão Revisada - Português


2 Crônicas 33
2 Crônicas 34
Lucas 19.1-27

2 Crônicas 33


1
Tinha Manassés doze anos quando começou a reinar, e reinou cinqüenta e cinco anos em Jerusalém.
2
E fez o que era mau aos olhos do Senhor, conforme as abominações dos povos que o Senhor lançara fora de diante dos filhos de Israel.
3
Pois tornou a edificar os altos que Ezequias, seu pai, tinha derribado e levantou altares aos baalins, e fez aserotes, e adorou a todo o exército do céu, e o serviu.
4
Também edificou altares na casa do Senhor, da qual o Senhor tinha dito: Em Jerusalém estará o meu nome eternamente.
5
Edificou altares a todo o exército do céu, nos dois átrios da casa do Senhor.
6
Além disso queimou seus filhos como sacrifício no vale do filho de Hinom e usou de augúrios e de encantamentos, e dava-se a artes mágicas, e instituiu adivinhos e feiticeiros sim, fez muito mal aos olhos do Senhor, para o provocar à ira.
7
Também a imagem esculpida do ídolo que tinha feito, ele a colocou na casa de Deus, da qual Deus tinha dito a Davi e a Salomão, seu filho: Nesta casa, e em Jerusalém, que escolhi de todas as tribos de Israel, porei eu o meu nome para sempre
8
e nunca mais removerei o pé de Israel da terra que destinei a vossos pais contanto que tenham cuidado de fazer tudo o que eu lhes ordenei, toda a lei, os estatutos e as ordenanças dados por intermédio de Moisés.
9
Manassés tanto fez errar a Judá e aos moradores de Jerusalém, que eles fizeram o mal ainda mais do que as nações que o Senhor tinha destruído de diante dos filhos de Israel.
10
Falou o Senhor a Manassés e ao seu povo, porém não deram ouvidos.
11
Pelo que o Senhor trouxe sobre eles os comandantes do exército do rei da Assíria, os quais prenderam Manassés com ganchos e, amarrando-o com cadeias de bronze, o levaram para Babilônia.
12
E estando ele angustiado, suplicou ao Senhor seu Deus, e humilhou-se muito perante o Deus de seus pais
13
sim, orou a ele e Deus se aplacou para com ele, e ouviu-lhe a súplica, e tornou a trazê-lo a Jerusalém, ao seu reino. Então conheceu Manassés que o Senhor era Deus.
14
Ora, depois disso edificou um muro do lado de fora da cidade de Davi, ao ocidente de Giom, no vale, até a entrada da porta dos peixes e fê-lo passar ao redor de Ofel, e o levantou muito alto também pôs oficiais do exército em todas as cidades fortificadas de Judá.
15
Tirou da casa do Senhor os deuses estranhos e o ídolo, como também todos os altares que tinha edificado no monte da casa do Senhor, e em Jerusalém, e os lançou fora da cidade.
16
Também reparou o altar do Senhor, e ofereceu sobre ele sacrifícios de ofertas pacíficas e de ações de graças e ordenou a Judá que servisse ao Senhor Deus de Israel.
17
Contudo o povo ainda sacrificava nos altos, mas somente ao Senhor seu Deus.
18
O restante dos atos de Manassés, e a sua oração ao seu Deus, e as palavras dos videntes que lhe falaram em nome do Senhor, Deus de Israel eram os seus altares e as suas imagens, e a Matã, sacerdote de
19
Também a sua oração, e como Deus se aplacou para com ele, e todo o seu pecado, e a sua transgressão, e os lugares onde edificou altos e pôs os aserins e as imagens esculpidas antes de se ter humilhado, eis que estão escritos nas crônicas dos videntes.
20
E dormiu Manassés com seus pais, e o sepultaram em sua casa e Amom, seu filho, reinou em seu lugar.
21
Tinha Amom vinte e dois anos quando começou a reinar, e reinou dois anos em Jerusalém.
22
Fez o que era mau aos olhos do Senhor, como havia feito Manassés, seu pai Amom sacrificou a todas as imagens esculpidas que Manassés, seu pai, tinha feito, e as serviu.
23
Mas não se humilhou perante o Senhor, como Manassés, seu pai, se humilhara pelo contrário multiplicou Amom os seus delitos.
24
E conspiraram contra ele os seus servos, e o mataram em sua casa.
25
Mas o povo da terra matou todos os que conspiraram contra o rei Amom, e fez reinar em lugar dele seu filho Josias.

topo

2 Crônicas 34


1
Tinha Josias oito anos quando começou a reinar, e reinou trinta e um anos em Jerusalém.
2
Fez o que era reto aos olhos do Senhor, e andou nos caminhos de Davi, seu pai, sem se desviar deles nem para a direita nem para a esquerda.
3
Pois no oitavo ano do seu reinado, sendo ainda moço, começou a buscar o Deus de Davi, seu pai e no duodécimo ano começou a purificar Judá e Jerusalém, dos altos, dos aserins e das imagens esculpidas e de fundição.
4
Foram derribados na presença dele os altares dos baalins e ele derribou os altares de incenso que estavam acima deles os aserins e as imagens esculpidas e de fundição ele os quebrou e reduziu a pó, que espargiu sobre as sepulturas dos que lhes tinham sacrificado.
5
E os ossos dos sacerdotes queimou sobre os seus altares e purificou Judá e Jerusalém.
6
E nas cidades de Manassés, de Efraim, de Simeão e ainda até Naftali, em seus lugares assolados ao redor,
7
derribou os altares, reduziu a pó os aserins e as imagens esculpidas, e cortou todos os altares de incenso por toda a terra de Israel. Então, voltou para Jerusalém.
8
No décimo oitavo ano do seu reinado, havendo já purificado a terra e a casa, ele enviou Safã, filho de Azalias, Maaséias, o governador da cidade, e Joá, filho de Joacaz, o cronista, para repararem a casa do Senhor seu Deus.
9
E foram ter com Hilquias, o sumo sacerdote, e entregaram o dinheiro que se tinha trazido à casa de Deus, e que os levitas, guardas da entrada, tinham recebido da mão de Manassés, de Efraim e de todo o resto de Israel, como também, de todo o Judá e Benjamim, e dos habitantes de Jerusalém.
10
E eles o entregaram nas mãos dos oficiais que eram superintendentes da casa do Senhor estes o deram aos que faziam a obra e que trabalhavam na casa do Senhor, para consertarem e repararem a casa.
11
Deram-no aos carpinteiros e aos edificadores, a fim de comprarem pedras lavradas, e madeiras para as junturas e para servirem de vigas para as casas que os reis de Judá tinham destruído.
12
E os homens trabalhavam fielmente na obra e os superintendentes sobre eles eram Jaate e Obadias, levitas, dos filhos de Merári, como também Zacarias e Mesulão, dos filhos dos coatitas, para adiantarem a obra e todos os levitas que eram entendidos em instrumentos de música.
13
Estavam sobre os carregadores e dirigiam todos os que trabalhavam em qualquer sorte de serviço também dentre os levitas eram os escrivães, os oficiais e os porteiros.
14
Ora, quando estavam tirando o dinheiro que se tinha trazido à casa do Senhor, Hilquias, o sacerdote, achou o livro da lei do Senhor dada por intermédio de Moisés.
15
Disse Hilquias a Safã, o escrivão: Achei o livro da lei na casa do Senhor. E entregou o livro a Safã.
16
Safã levou o livro ao rei, e deu conta também ao rei, dizendo: Teus servos estão fazendo tudo quanto se lhes encomendou.
17
Tomaram o dinheiro que se achou na casa do Senhor, e o entregaram nas mãos dos superintendentes e nas mãos dos que fazem a obra.
18
Safã, o escrivão, falou ainda ao rei, dizendo: O sacerdote Hilquias entregou-me um livro. E Safã leu nele perante o rei.
19
Quando o rei ouviu as palavras da lei, rasgou as suas vestes.
20
E o rei ordenou a Hilquias, a Aicão, filho de Safã, a Abdom, filho de Mica, a Safã, o escrivão, e a Asaías, servo do rei, dizendo:
21
Ide, consultai ao Senhor por mim e pelos que restam em Israel e em Judá, sobre as palavras deste livro que se achou pois grande é o furor do Senhor que se tem derramado sobre nos por não terem os nossos pais guardado a palavra do Senhor, para fazerem conforme tudo quanto está escrito neste livro.
22
Então Hilquias e os enviados do rei foram ter com a profetisa Hulda, mulher de Salum, filho de Tocate, filho de Hasra, o guarda das vestiduras (ela habitava então em Jerusalém na segunda parte) e lhe falaram a esse respeito.
23
E ela lhes respondeu: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Dizei ao homem que vos enviou a mim:
24
Assim diz o Senhor: Eis que trarei o mal sobre este lugar, e sobre os seus habitantes, a saber, todas as maldições que estão escritas no livro que se leu perante o rei de Judá.
25
Porque me deixaram, e queimaram incenso a outros deuses, para me provocarem à ira com todas as obras das suas mãos portanto o meu furor se derramará sobre este lugar, e não se apagará.
26
Todavia ao rei de Judá, que vos enviou para consultar ao Senhor, assim lhe direis: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Quanto às palavras que ouviste,
27
porquanto o teu coração se enterneceu, e te humilhaste perante Deus, ouvindo as suas palavras contra este lugar e contra os seus habitantes, e te humilhaste perante mim, e rasgaste as tuas vestes, e choraste perante mim, também eu te ouvi, diz o Senhor.
28
Eis que te ajuntarei a teus pais, e tu serás recolhido ao teu sepulcro em paz, e os teus olhos não verão todo o mal que hei de trazer sobre este lugar e sobre os seus habitantes. E voltaram com esta resposta ao rei.
29
Então o rei mandou reunir todos os anciãos de Judá e de Jerusalém
30
e o rei subiu à casa do Senhor, com todos os homens de Judá, e os habitantes de Jerusalém, e os sacerdotes, e os levitas, e todo o povo, desde o menor até o maior e ele leu aos ouvidos deles todas as palavras do livro do pacto, que fora encontrado na casa do Senhor.
31
E o rei pôs-se em pé em seu lugar, e fez um pacto perante o Senhor, de andar após o Senhor, e de guardar os seus mandamentos, e os seus testemunhos, e os seus estatutos, de todo o coração e de toda a alma, a fim de cumprir as palavras do pacto, que estavam escritas naquele livro.
32
Também fez com que todos quantos se achavam em Jerusalém e em Benjamim o firmassem e os habitantes de Jerusalém fizeram conforme o pacto de Deus, do Deus de seus pais.
33
E Josias tirou todas as abominações de todas as terras que eram dos filhos de Israel e ainda fez que todos quantos se achavam em Israel servissem ao Senhor seu Deus. E, enquanto ele viveu, não deixaram de seguir ao Senhor, Deus de seus pais.

topo

Lucas 19

1-27
1
Tendo Jesus entrado em Jericó, ia atravessando a cidade.
2
Havia ali um homem chamado Zaqueu, o qual era chefe de publicanos e era rico.
3
Este procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, porque era de pequena estatura.
4
E correndo adiante, subiu a um sicômoro a fim de vê-lo, porque havia de passar por ali.
5
Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa porque importa que eu fique hoje em tua casa.
6
Desceu, pois, a toda a pressa, e o recebeu com alegria.
7
Ao verem isso, todos murmuravam, dizendo: Entrou para ser hóspede de um homem pecador.
8
Zaqueu, porém, levantando-se, disse ao Senhor: Eis aqui, Senhor, dou aos pobres metade dos meus bens e se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado.
9
Disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, porquanto também este é filho de Abraão.
10
Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
11
Ouvindo eles isso, prosseguiu Jesus, e contou uma parábola, visto estar ele perto de Jerusalém, e pensarem eles que o reino de Deus se havia de manifestar imediatamente.
12
Disse pois: Certo homem nobre partiu para uma terra longínqua, a fim de tomar posse de um reino e depois voltar.
13
E chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-lhes: Negociai até que eu venha.
14
Mas os seus concidadãos odiavam-no, e enviaram após ele uma embaixada, dizendo: Não queremos que este homem reine sobre nós.
15
E sucedeu que, ao voltar ele, depois de ter tomado posse do reino, mandou chamar aqueles servos a quem entregara o dinheiro, a fim de saber como cada um havia negociado.
16
Apresentou-se, pois, o primeiro, e disse: Senhor, a tua mina rendeu dez minas.
17
Respondeu-lhe o senhor: Bem está, servo bom! porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás autoridade.
18
Veio o segundo, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu cinco minas.
19
A este também respondeu: Sê tu também sobre cinco cidades.
20
E veio outro, dizendo: Senhor, eis aqui a tua mina, que guardei num lenço
21
pois tinha medo de ti, porque és homem severo tomas o que não puseste, e ceifas o que não semeaste.
22
Disse-lhe o Senhor: Servo mau! pela tua boca te julgarei sabias que eu sou homem severo, que tomo o que não pus, e ceifo o que não semeei
23
por que, pois, não puseste o meu dinheiro no barco? então vindo eu, o teria retirado com os juros.
24
E disse aos que estavam ali: Tirai-lhe a mina, e dai-a ao que tem as dez minas.
25
Responderam-lhe eles: Senhor, ele tem dez minas.
26
Pois eu vos digo que a todo o que tem, dar-se-lhe-á mas ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado.
27
Quanto, porém, àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim.

topo
Participe da nossa comunidade
Facebook
Twitter