E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Apocalipse 21.3
Leitura diária na versão Revisada - Português


Êxodo 10
Êxodo 11
Êxodo 12
Mateus 18.15-35

Êxodo 10


1
Depois disse o Senhor a Moisés: vai a Faraó porque tenho endurecido o seu coração, e o coração de seus servos, para manifestar estes meus sinais no meio deles,
2
e para que contes aos teus filhos, e aos filhos de teus filhos, as coisas que fiz no Egito, e os meus sinais que operei entre eles para que vós saibais que eu sou o Senhor.
3
Foram, pois, Moisés e Arão a Faraó, e disseram-lhe: Assim diz o Senhor, o Deus dos hebreus: Até quando recusarás humilhar-te diante de mim? Deixa ir o meu povo, para que me sirva
4
mas se tu recusares deixar ir o meu povo, eis que amanhã trarei gafanhotos aos teus termos
5
e eles cobrirão a face da terra, de sorte que não se poderá ver a terra e comerão o resto do que escapou, o que vos ficou da saraiva também comerão toda árvore que vos cresce no campo
6
e encherão as tuas casas, as casas de todos os teus servos e as casas de todos os egípcios, como nunca viram teus pais nem os pais de teus pais, desde o dia em que apareceram na terra até o dia de hoje. E virou-se, e saiu da presença de Faraó.
7
Então os servos de Faraó lhe disseram: Até quando este homem nos há de ser por laço? deixa ir os homens, para que sirvam ao Senhor seu Deus porventura não sabes ainda que o Egito está destruído?
8
Pelo que Moisés e Arão foram levados outra vez a Faraó, e ele lhes disse: Ide, servi ao Senhor vosso Deus. Mas quais são os que hão de ir?
9
Respondeu-lhe Moisés: Havemos de ir com os nossos jovens e com os nossos velhos com os nossos filhos e com as nossas filhas, com os nossos rebanhos e com o nosso gado havemos de ir porque temos de celebrar uma festa ao Senhor.
10
Replicou-lhes Faraó: Seja o Senhor convosco, se eu vos deixar ir a vós e a vossos pequeninos! Olhai, porque há mal diante de vós.
11
Não será assim agora, ide vós, os homens, e servi ao Senhor, pois isso é o que pedistes: E foram expulsos da presença de Faraó.
12
Então disse o Senhor a Moisés: Quanto aos gafanhotos, estende a tua mão sobre a terra do Egito, para que venham eles sobre a terra do Egito e comam toda erva da terra, tudo o que deixou a saraiva.
13
Então estendeu Moisés sua vara sobre a terra do Egito, e o Senhor trouxe sobre a terra um vento oriental todo aquele dia e toda aquela noite e, quando amanheceu, o vento oriental trouxe os gafanhotos.
14
Subiram, pois, os gafanhotos sobre toda a terra do Egito e pousaram sobre todos os seus termos tão numerosos foram, que antes destes nunca houve tantos, nem depois deles haverá.
15
Pois cobriram a face de toda a terra, de modo que a terra se escureceu e comeram toda a erva da terra e todo o fruto das árvores, que deixara a saraiva nada verde ficou, nem de árvore nem de erva do campo, por toda a terra do Egito.
16
Então Faraó mandou apressadamente chamar Moisés e Arão, e lhes disse: Pequei contra o Senhor vosso Deus, e contra vós.
17
Agora: pois, perdoai-me peço-vos somente esta vez o meu pecado, e orai ao Senhor vosso Deus que tire de mim mais esta morte.
18
Saiu, pois, Moisés da presença de Faraó, e orou ao Senhor.
19
Então o Senhor trouxe um vento ocidental fortíssimo, o qual levantou os gafanhotos e os lançou no Mar Vermelho não ficou um só gafanhoto em todos os termos do Egito.
20
O Senhor, porém, endureceu o coração de Faraó, e este não deixou ir os filhos de Israel.
21
Então disse o Senhor a Moisés: Estende a mão para o céu, para que haja trevas sobre a terra do Egito, trevas que se possam apalpar.
22
Estendeu, pois, Moisés a mão para o céu, e houve trevas espessas em toda a terra do Egito por três dias.
23
Não se viram uns aos outros, e ninguém se levantou do seu lugar por três dias mas para todos os filhos de Israel havia luz nas suas habitações.
24
Então mandou Faraó chamar Moisés, e disse: Ide, servi ao Senhor somente fiquem os vossos rebanhos e o vosso gado mas vão juntamente convosco os vossos pequeninos.
25
Moisés, porém, disse: Tu também nos tens de dar nas mãos sacrifícios e holocaustos, para que possamos oferecer sacrifícios ao Senhor nosso Deus.
26
E também o nosso gado há de ir conosco nem uma unha ficará porque dele havemos de tomar para servir ao Senhor nosso Deus porque não sabemos com que havemos de servir ao Senhor, até que cheguemos lá.
27
O Senhor, porém, endureceu o coração de Faraó, e este não os quis deixar ir:
28
Disse, pois, Faraó a Moisés: Retira-te de mim, guarda-te que não mais vejas o meu rosto porque no dia em que me vires o rosto morrerás.
29
Respondeu Moisés: Disseste bem eu nunca mais verei o teu rosto.

topo

Êxodo 11


1
Disse o Senhor a Moisés: Ainda mais uma praga trarei sobre Faraó, e sobre o Egito depois ele vos deixará ir daqui e, deixando vos ir a todos, com efeito vos expulsará daqui.
2
Fala agora aos ouvidos do povo, que cada homem peça ao seu vizinho, e cada mulher à sua vizinha, jóias de prata e jóias de ouro.
3
E o Senhor deu ao povo graça aos olhos dos egípcios. Além disso o varão Moisés era mui grande na terra do Egito, aos olhos dos servos de Faraó e aos olhos do povo.
4
Depois disse Moisés a Faraó: Assim diz o Senhor: ë meia-noite eu sairei pelo meio do Egito
5
e todos os primogênitos na terra do Egito morrerão, desde o primogênito de Faraó, que se assenta sobre o seu trono, até o primogênito da serva que está detrás da mó, e todos os primogênitos dos animais.
6
Pelo que haverá grande clamor em toda a terra do Egito, como nunca houve nem haverá jamais.
7
Mas contra os filhos de Israel nem mesmo um cão moverá a sua língua, nem contra homem nem contra animal para que saibais que o Senhor faz distinção entre os egípcios e os filhos de Israel.
8
Então todos estes teus servos descerão a mim, e se inclinarão diante de mim, dizendo: Sai tu, e todo o povo que te segue as pisadas. Depois disso eu sairei. E Moisés saiu da presença de Faraó ardendo em ira.
9
Pois o Senhor dissera a Moisés: Faraó não vos ouvirá, para que as minhas maravilhas se multipliquem na terra do Egito.
10
E Moisés e Arão fizeram todas estas maravilhas diante de Faraó mas o Senhor endureceu o coração de Faraó, que não deixou ir da sua terra os filhos de Israel.

topo

Êxodo 12


1
Ora, o Senhor falou a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo:
2
Este mês será para vós o princípio dos meses este vos será o primeiro dos meses do ano.
3
Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Ao décimo dia deste mês tomará cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família.
4
Mas se a família for pequena demais para um cordeiro, tomá-lo-á juntamente com o vizinho mais próximo de sua casa, conforme o número de almas conforme ao comer de cada um, fareis a conta para o cordeiro.
5
O cordeiro, ou cabrito, será sem defeito, macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras,
6
e o guardareis até o décimo quarto dia deste mês e toda a assembléia da congregação de Israel o matará à tardinha:
7
Tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambos os umbrais e na verga da porta, nas casas em que o comerem.
8
E naquela noite comerão a carne assada ao fogo, com pães ázimos com ervas amargosas a comerão.
9
Não comereis dele cru, nem cozido em água, mas sim assado ao fogo a sua cabeça com as suas pernas e com a sua fressura.
10
Nada dele deixareis até pela manhã mas o que dele ficar até pela manhã, queimá-lo-eis no fogo.
11
Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão e o comereis apressadamente esta é a páscoa do Senhor.
12
Porque naquela noite passarei pela terra do Egito, e ferirei todos os primogênitos na terra do Egito, tanto dos homens como dos animais e sobre todos os deuses do Egito executarei juízos eu sou o Senhor.
13
Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito. :
14
E este dia vos será por memorial, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor através das vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.
15
Por sete dias comereis pães ázimos logo ao primeiro dia tirareis o fermento das vossas casas, porque qualquer que comer pão levedado, entre o primeiro e o sétimo dia, esse será cortado de Israel.
16
E ao primeiro dia haverá uma santa convocação também ao sétimo dia tereis uma santa convocação neles não se fará trabalho algum, senão o que diz respeito ao que cada um houver de comer somente isso poderá ser feito por vós.
17
Guardareis, pois, a festa dos pães ázimos, porque nesse mesmo dia tirei vossos exércitos da terra do Egito pelo que guardareis este dia através das vossas gerações por estatuto perpétuo.
18
No primeiro mês, aos catorze dias do mês, à tarde, comereis pães ázimos até vinte e um do mês à tarde.
19
Por sete dias não se ache fermento algum nas vossas casas porque qualquer que comer pão levedado, esse será cortado da congregação de Israel, tanto o peregrino como o natural da terra.
20
Nenhuma coisa levedada comereis em todas as vossas habitações comereis pães ázimos.
21
Chamou, pois, Moisés todos os anciãos de Israel, e disse-lhes: Ide e tomai-vos cordeiros segundo as vossas famílias, e imolai a páscoa.
22
Então tomareis um molho de hissopo, embebê-lo-eis no sangue que estiver na bacia e marcareis com ele a verga da porta e os dois umbrais mas nenhum de vós sairá da porta da sua casa até pela manhã.
23
Porque o Senhor passará para ferir aos egípcios e, ao ver o sangue na verga da porta e em ambos os umbrais, o Senhor passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas para vos ferir.
24
Portanto guardareis isto por estatuto para vós e para vossos filhos, para sempre.
25
Quando, pois, tiverdes entrado na terra que o Senhor vos dará, como tem prometido, guardareis este culto.
26
E quando vossos filhos vos perguntarem: Que quereis dizer com este culto?
27
Respondereis: Este é o sacrifício da páscoa do Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu os egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se e adorou.
28
E foram os filhos de Israel, e fizeram isso como o Senhor ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram.
29
E aconteceu que à meia-noite o Senhor feriu todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se assentava em seu trono, até o primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos os primogênitos dos animais.
30
E Faraó levantou-se de noite, ele e todos os seus servos, e todos os egípcios e fez-se grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto.
31
Então Faraó chamou Moisés e Arão de noite, e disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel e ide servir ao Senhor, como tendes dito.
32
Levai também convosco os vossos rebanhos e o vosso gado, como tendes dito e ide, e abençoai-me também a mim.
33
E os egípcios apertavam ao povo, e apressando-se por lançá-los da terra porque diziam: Estamos todos mortos.
34
Ao que o povo tomou a massa, antes que ela levedasse, e as amassadeiras atadas e em seus vestidos, sobre os ombros.
35
Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme a palavra de Moisés, e pediram aos egípcios jóias de prata, e jóias de ouro, e vestidos.
36
E o Senhor deu ao povo graça aos olhos dos egípcios, de modo que estes lhe davam o que pedia e despojaram aos egípcios.
37
Assim viajaram os filhos de Israel de a Ramessés a Sucote, cerca de seiscentos mil homens de pé, sem contar as crianças.
38
Também subiu com eles uma grande mistura de gente e, em rebanhos e manadas, uma grande quantidade de gado.
39
E cozeram bolos ázimos da massa que levaram do Egito, porque ela não se tinha levedado, porquanto foram lançados do Egito e não puderam deter-se, nem haviam preparado comida.
40
Ora, o tempo que os filhos de Israel moraram no Egito foi de quatrocentos e trinta anos.
41
E aconteceu que, ao fim de quatrocentos e trinta anos, naquele mesmo dia, todos os exércitos do Senhor saíram da terra do Egito.
42
Esta é uma noite que se deve guardar ao Senhor, porque os tirou da terra do Egito esta é a noite do Senhor, que deve ser guardada por todos os filhos de Israel através das suas gerações.
43
Disse mais o Senhor a Moisés e a Arão: Esta é a ordenança da páscoa nenhum, estrangeiro comerá dela
44
mas todo escravo comprado por dinheiro, depois que o houveres circuncidado, comerá dela.
45
O forasteiro e o assalariado não comerão dela.
46
Numa só casa se comerá o cordeiro não levareis daquela carne fora da casa nem lhe quebrareis osso algum.
47
Toda a congregação de Israel a observará.
48
Quando, porém, algum estrangeiro peregrinar entre vós e quiser celebrar a páscoa ao Senhor, circuncidem-se todos os seus varões então se chegará e a celebrará, e será como o natural da terra mas nenhum incircunciso comerá dela.
49
Haverá uma mesma lei para o natural e para o estrangeiro que peregrinar entre vós.
50
Assim, pois, fizeram todos os filhos de Israel como o Senhor ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram.
51
E naquele mesmo dia o Senhor tirou os filhos de Israel da terra do Egito, segundo os seus exércitos.

topo

Mateus 18

15-35
15
Ora, se teu irmão pecar, vai, e repreende-o entre ti e ele só se te ouvir, terás ganho teu irmão
16
mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada.
17
Se recusar ouvi-los, dize-o à igreja e, se também recusar ouvir a igreja, considera-o como gentio e publicano.
18
Em verdade vos digo: Tudo quanto ligardes na terra será ligado no céu e tudo quanto desligardes na terra será desligado no céu.
19
Ainda vos digo mais: Se dois de vós na terra concordarem acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus.
20
Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.
21
Então Pedro, aproximando-se dele, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete?
22
Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete mas até setenta vezes sete.
23
Por isso o reino dos céus é comparado a um rei que quis tomar contas a seus servos
24
e, tendo começado a tomá-las, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos
25
mas não tendo ele com que pagar, ordenou seu senhor que fossem vendidos, ele, sua mulher, seus filhos, e tudo o que tinha, e que se pagasse a dívida.
26
Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, tem paciência comigo, que tudo te pagarei.
27
O senhor daquele servo, pois, movido de compaixão, soltou-o, e perdoou-lhe a dívida.
28
Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem denários e, segurando-o, o sufocava, dizendo: Paga o que me deves.
29
Então o seu companheiro, caindo-lhe aos pés, rogava-lhe, dizendo: Tem paciência comigo, que te pagarei.
30
Ele, porém, não quis antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.
31
Vendo, pois, os seus conservos o que acontecera, contristaram-se grandemente, e foram revelar tudo isso ao seu senhor.
32
Então o seu senhor, chamando-o á sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste
33
não devias tu também ter compaixão do teu companheiro, assim como eu tive compaixão de ti?
34
E, indignado, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que pagasse tudo o que lhe devia.
35
Assim vos fará meu Pai celestial, se de coração não perdoardes, cada um a seu irmão.

topo
Participe da nossa comunidade
Facebook
Twitter